Cabelo 14/12/2019

Saiba diferenciar a calvície masculina da queda de cabelo

Em condições normais, uma pessoa pode perder de 50 até 200 fios de cabelo por dia. Quando você percebe que o volume de fios no travesseiro ou no ralo do banheiro tem aumentado, sem que haja a reposição capilar, isso pode ser um sinal de calvície masculina.

Também conhecida como alopecia androgenética, essa condição afeta muito a autoestima das pessoas. Por isso, o primeiro passo é aprender a identificar o problema e entender as causas dessa queda.

Neste artigo, você aprenderá um pouco mais sobre a calvície, os principais sintomas e as causas da perda dos fios. Além disso, conhecerá ainda as diferenças entre esse problema e a queda de cabelo. Preparado?

O que é a calvície masculina?

Nosso cabelo apresenta um ciclo de três fases: crescimento, repouso e queda. Esse processo pode durar de 10 a 18 meses, dependendo da genética e de fatores como alimentação, idade e etnia.

Quando há aquela queda natural do cabelo que falamos na introdução, é sinal de que a fase de crescimento já está acontecendo e outros fios nascerão. No portador de alopecia, esse processo de renovação contínua não acontece, deixando áreas do couro cabeludo visíveis.

Embora a calvície também se manifeste em mulheres, ela é mais comum no gênero masculino por causa da ação da testosterona. Esse hormônio pode ser convertido em dihidrotestosterona (DHT), um derivado que atua no bulbo capilar e promove o afinamento dos fios, levando à queda.

Quais são os principais sintomas?

Os primeiros sinais da alopecia nos homens podem surgir entre os 17 e 23 anos. Os fios não caem todos de uma vez, mas a queda é contínua e persistente. As primeiras falhas, normalmente, surgem nas laterais da testa.

Ao longo do tempo, a perda de cabelo é mais acentuada no topo da cabeça. Os cabelos podem continuar caindo até a calvície ocupar toda a parte superior da cabeça, deixando os fios apenas nas laterais e na parte posterior.

Quando os sinais aparecem em pessoas mais jovens, por volta dos 26 anos, essa queda é mais lenta. Contudo, aproximadamente, 50% dos homens acima dos 50 anos podem sofrer com a calvície.

As causas da calvície nos homens?

Além do hormônio DHT, a hereditariedade é outro fator que leva à queda permanente dos fios. As duas situações podem desencadear a atrofia do bulbo capilar, responsável pelo crescimento do cabelo.

Qual a diferença entre calvície e queda de cabelo?

Como você viu, a calvície é desencadeada principalmente pela hereditariedade e a conversão de hormônios, como a testosterona, em DHT e a perda de cabelo é definitiva, embora haja soluções para tratar e até retardar a queda completa dos fios.

Já a queda de cabelo é uma condição temporária que pode ser desencadeada por alguns fatores, como:

  • falta de vitaminas e minerais, como ferro e vitamina D;
  • doenças autoimunes, infecciosas, ou de tireoide;
  • estresse;
  • banhos muito quentes;
  • alguns medicamentos, como antidepressivos ou quimioterápicos.

Nesses casos, ajustes na dieta, terapia, mudanças no banho, tratamento de doenças e finalização do uso de algumas medicações podem interromper a queda acentuada dos fios.

A boa notícia para quem tem calvície ou sofre com a queda de cabelo temporária é que já existe um tratamento capilar desenvolvido especialmente para esses casos. Além de prevenir a perda acentuada dos fios, ele ajuda a regular o ciclo de vida do cabelo, acelerando o nascimento e crescimento de novos fios.

Você viu que a calvície masculina é a grande responsável pela queda definitiva dos fios, que esse processo pode ter início ainda na adolescência por causas hormonais ou genéticas e identificou também a diferença entre a alopecia e a queda de cabelos. Com isso, você pode procurar o tratamento mais indicado para o seu caso.

Gostou deste artigo? Então que tal saber um pouco mais sobre os tratamentos estéticos para os homens?